Ícone do site Blog Dito

Qual é a importância do mix de canais para o Varejo?

No último dia 04/10, uma pane generalizada paralisou o funcionamento das redes sociais WhatsApp, Facebook e Instagram em todo o mundo. Foram aproximadamente sete horas de interrupção destes canais, o que gerou um prejuízo de US$ 5.9 bilhões para Mark Zuckerberg, proprietário das redes.

A falha destes canais sociais foi algo de força maior (e externa) que prejudicou também muitos negócios. Em plena segunda-feira, canais importantíssimos foram impossibilitados de serem utilizados. Imagine lojas que haviam lives programadas, ações promocionais com período pré-estabelecido, cupons disparados pela manhã com prazo de expiração, por exemplo. Qual foi o impacto dessa pane para as marcas? 

Neste artigo, vamos falar sobre a importância do mix de canais para estratégias de comunicação e vendas no Varejo. 

Atentar-se e antecipar-se às mudanças

Como mencionado, a falha ocorrida foi em razão de fatores de força maior, que vão além do que pode ser feito por qualquer um de nós, usuários dessas plataformas. 

Estamos sujeitos a problemas de origem externa a todo o tempo. Por isso, é fundamental conhecer o seu mercado e entender como e quais aspectos adversos podem vir a ocorrer. A partir disso, planejar-se para esses casos é a melhor forma de antever inconvenientes e ter uma reação rápida nessas situações.

Quando falamos de compreender o mercado, não necessariamente falamos apenas de acompanhar as mudanças do segmento em que sua marca atua. É essencial estar atento aos ambientes econômico, político, tecnológico, social e cultural. Tudo isso influencia no contexto mercadológico em que as marcas estão inseridas e podem transformar toda uma lógica de negócio. A própria pandemia é um exemplo prático e recente disso.

Por que é importante contar com um mix de canais?

Pense em marcas que vendem pelo Instagram ou pelo WhatsApp e não contam com um e-commerce. A queda dessas redes comprometeram não apenas a divulgação dos produtos, como a comercialização em si. 

O risco de limitar a atuação da sua marca a poucos canais é tornar-se refém de quaisquer falhas que possam surgir. Mas atenção: não estamos dizendo que é obrigatório estar em todos eles. Contudo, é essencial conferir capilaridade à comunicação e às vendas do seu negócio. Para selecioná-los, não há segredo: conheça os hábitos e preferências do seu cliente e coloque-o no centro de toda sua estratégia!

Automatize as comunicações da sua marca via e-mail, SMS, browser e mobile push: conheça a solução Dito Campanhas

Timing é tudo

A reação rápida aos imprevistos que ocorrem é um diferencial. Muitas marcas rapidamente responderam à queda do WhatsApp com o disparo de comunicações via SMS, por exemplo. Um canal “analógico”, que faz parte da estratégia de grandes varejistas, foi utilizado de forma ainda mais precisa diante da pane generalizada. Um argumento muito utilizado foi “as redes caíram, mas nós estamos aqui”. O e-mail também foi um canal bastante explorado com a mesma premissa.

Nesses momentos, a variedade de canais gera possibilidades, tornando-se ainda mais estratégica e importante. Se essas marcas não utilizassem outros meios de contato com sua base de clientes, o prejuízo seria ainda maior. Oferecer possibilidades significa facilitar os processos para o cliente. No varejo, isso é crucial. 

Importante: oportunidade não é o mesmo que oportunismo

Trabalhar comunicações que tenham conexão direta com alguma situação que está repercutindo no momento (neste caso, a queda das redes sociais) é uma boa ideia, mas demanda perspicácia. 

A dica aqui é ter cuidado para não confundir oportunidade com oportunismo. A diferença é clara: aproveitar-se de um cenário de crise para benefício próprio não é a mesma coisa que surfar a onda de uma ocasião e/ou evento favorável à sua marca com originalidade. 

Sair da versão mobile