Você sabe o que é a taxa de recompra? Entende como calculá-la? Quer descobrir um benchmark para o varejo? A resposta para essas e outras perguntas você encontrará neste artigo.

Vem com a gente conferir?

O que é a taxa de recompra?

A taxa de recompra é um indicador de CRM utilizado para mensurar a porcentagem de compras realizadas por clientes recorrentes, tanto em loja física quanto no e-commerce.

É necessário alinhar que uma operação de recompra é contabilizada somente se a penúltima e a última compra ocorreram há menos de 12 meses, em relação à data presente.

Se, por exemplo, o consumidor comprou pela última vez há mais de um ano e, recentemente, ele efetuou um novo pedido, não será considerado recompra.

Infelizmente, a taxa de recompra ainda é um KPI negligenciado por alguns varejistas. E, por essa razão, eles ficam sem a visão do quanto a base é fiel (ou não) à marca.

Como calcular a taxa de recompra?

O cálculo é a parte simples: basta pegar a quantidade de recompras processadas dentro do período, dividi-la pelo número total de transações registradas e multiplicar por 100.

Para exemplificar, veja a situação fictícia abaixo:

No intervalo entre 01/05 e 19/05/2024, o “Varejista B” somou o total de 25.367 transações, sendo destas, 24.726 somente de recompra. Logo:

24.726 / 25.367 = 0,9747 * 100 = 97,47% (Taxa de Recompra).

Não tem mistério! Embora, para chegar aos dados acima com facilidade, é interessante ter disponível na empresa um CRM para o Varejo de qualidade.

Fale com um especialista da Dito

Benchmark para o varejo

Pela nossa experiência, uma taxa de recompra entre 50% e 70% é saudável. Entretanto: atenção!

É essencial manter o equilíbrio entre as estratégias de aquisição e de retenção, afinal, se a sua marca focar apenas nas ações que estimulam a recompra, você irá “desgastar” a base e, por consequência, diminuir as vendas.

De toda forma, para irmos mais a fundo no assunto, fizemos uma pesquisa com 20 marcas varejistas do segmento de Moda e Acessórios, de médio e grande porte no Brasil.

Esse estudo teve como objetivo entender qual era a taxa média de recompra e trazer uma primeira referência sobre este indicador para que outras marcas possam ter base de comparação.

Para tanto, medimos em um mês quantos dos clientes que compraram eram antigos e quantos estavam convertendo pela primeira vez na marca.

Na nossa pesquisa apuramos que em média 57,1% dos compradores já eram clientes das marcas.

Os outros 42,9% dos consumidores eram novos, isto é, estavam fazendo sua primeira compra nessas lojas.

Das 20 marcas estudadas, 11 tiveram mais da metade das compras realizadas por pessoas que já eram clientes.

A maior taxa de recompra encontrada foi de 90,7% e a menor 26,9%.

Como aumentar a taxa de recompra?

Como já ficou explícito neste artigo, as estratégias para crescer a taxa de recompra estão 100% interligadas com o relacionamento recorrente com a base de consumidores já existente.

Portanto, o mínimo a ser feito para melhorar esse indicador é configurar no seu CRM campanhas automáticas de carrinho abandonado, aniversariantes do dia e do mês, pós-venda com cashback e etc.

Além destas, também é fundamental customizar ações para as principais datas comemorativas do varejo, cedendo para os clientes da marca cupons de desconto, frete grátis, dentre outras vantagens.

E para concluir, lembre-se que a qualidade do conteúdo faz toda a diferença.

Segundo uma pesquisa realizada pela Opinion Box & Dito CRM, 73% dos consumidores preferem comprar de marcas que oferecem experiências personalizadas, logo, caprichar nas imagens e textos, contribui para maximizar a taxa de recompra.

E então, o que achou deste artigo? Deixe a sua opinião nos comentários.

Postagens similares

O que é taxa de recompra e como calculá-la?

Você sabe o que é a taxa de recompra? Entende como calculá-la? Quer descobrir um benchmark para o varejo? A resposta para essas e outras perguntas você encontrará neste artigo.

Vem com a gente conferir?

O que é a taxa de recompra?

A taxa de recompra é um indicador de CRM utilizado para mensurar a porcentagem de compras realizadas por clientes recorrentes, tanto em loja física quanto no e-commerce.

É necessário alinhar que uma operação de recompra é contabilizada somente se a penúltima e a última compra ocorreram há menos de 12 meses, em relação à data presente.

Se, por exemplo, o consumidor comprou pela última vez há mais de um ano e, recentemente, ele efetuou um novo pedido, não será considerado recompra.

Infelizmente, a taxa de recompra ainda é um KPI negligenciado por alguns varejistas. E, por essa razão, eles ficam sem a visão do quanto a base é fiel (ou não) à marca.

Como calcular a taxa de recompra?

O cálculo é a parte simples: basta pegar a quantidade de recompras processadas dentro do período, dividi-la pelo número total de transações registradas e multiplicar por 100.

Para exemplificar, veja a situação fictícia abaixo:

No intervalo entre 01/05 e 19/05/2024, o “Varejista B” somou o total de 25.367 transações, sendo destas, 24.726 somente de recompra. Logo:

24.726 / 25.367 = 0,9747 * 100 = 97,47% (Taxa de Recompra).

Não tem mistério! Embora, para chegar aos dados acima com facilidade, é interessante ter disponível na empresa um CRM para o Varejo de qualidade.

Fale com um especialista da Dito

Benchmark para o varejo

Pela nossa experiência, uma taxa de recompra entre 50% e 70% é saudável. Entretanto: atenção!

É essencial manter o equilíbrio entre as estratégias de aquisição e de retenção, afinal, se a sua marca focar apenas nas ações que estimulam a recompra, você irá “desgastar” a base e, por consequência, diminuir as vendas.

De toda forma, para irmos mais a fundo no assunto, fizemos uma pesquisa com 20 marcas varejistas do segmento de Moda e Acessórios, de médio e grande porte no Brasil.

Esse estudo teve como objetivo entender qual era a taxa média de recompra e trazer uma primeira referência sobre este indicador para que outras marcas possam ter base de comparação.

Para tanto, medimos em um mês quantos dos clientes que compraram eram antigos e quantos estavam convertendo pela primeira vez na marca.

Na nossa pesquisa apuramos que em média 57,1% dos compradores já eram clientes das marcas.

Os outros 42,9% dos consumidores eram novos, isto é, estavam fazendo sua primeira compra nessas lojas.

Das 20 marcas estudadas, 11 tiveram mais da metade das compras realizadas por pessoas que já eram clientes.

A maior taxa de recompra encontrada foi de 90,7% e a menor 26,9%.

Como aumentar a taxa de recompra?

Como já ficou explícito neste artigo, as estratégias para crescer a taxa de recompra estão 100% interligadas com o relacionamento recorrente com a base de consumidores já existente.

Portanto, o mínimo a ser feito para melhorar esse indicador é configurar no seu CRM campanhas automáticas de carrinho abandonado, aniversariantes do dia e do mês, pós-venda com cashback e etc.

Além destas, também é fundamental customizar ações para as principais datas comemorativas do varejo, cedendo para os clientes da marca cupons de desconto, frete grátis, dentre outras vantagens.

E para concluir, lembre-se que a qualidade do conteúdo faz toda a diferença.

Segundo uma pesquisa realizada pela Opinion Box & Dito CRM, 73% dos consumidores preferem comprar de marcas que oferecem experiências personalizadas, logo, caprichar nas imagens e textos, contribui para maximizar a taxa de recompra.

E então, o que achou deste artigo? Deixe a sua opinião nos comentários.

Posts Similares

1 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *